UM PORTUGUES EM VANCOUVER

Chamo me Tiago Ribeiro, e desde a 9 anos que imigrei para o Canada, mais precisamente, para uma das mais belas cidades do mundo de seu nome VANCOUVER.Aqui irei mostrar e reflectir, sobre esta bela cidade, Cultura e Culturas, a experiencia da imigracao, reflexoes pessoais e sobre Portugal e Canada, entre outros temas e questoes desta VIDA de Imigrante e do MUNDO que me rodeia.. ....VIVE SE ESCREVENDO E ESCREVE SE PARA VIVER...

Tuesday, March 21, 2006

Quando a Teologia se tornou Monotonia



Quando cheguei ao Canada tornei-me Budista, foi, estava precisar de mudar por multiplas razoes. Mas esta escolha embora pareca "estranha", esta muito realcionada aos valores portugueses, alguns que me perturbam, e a uma nessecidade premente de novos horizontes morais, emocionais e intelectuais.


Mas o que gostava de vos explicar e mostrar sao os reais factores que me levaram a esta escolha, porque acrdito que muitos pontos de interrogacao devem ter surgido ao dizer a minha escolha. Tudo comecou quando cheguei a Portugal, e foi numa altura em que andava um pouco perdido que me tornei cristao, por escolha propria.


O facto de estar perdido devia-se a ter emigrado para Portugal e me sentir algo incomodado pelos valores portugeses que tao diferentes eram dos Mosambicanos, onde tinha vivido.
Quando crianca fiz catequese que me fez fica apaixonado pelo cristianismo e poucas eram as vezes em que nao ia. Anos mais tarde, tornei me escuteiro tanto pelos fascotes sociais como cirstaos e durante a minha vida de escuteiro nunca minha fe vacilou, e foi por estas alturas que as filosofias orientais comecaram a entrar desntro dos meus interesses.


Ainda estava para vir algo que fez repensar a minha fe e o que e ser cistao, ou mesmo ter uma crenca. Durante o escutismo a minha fe cresceu e tornou-se solida, fazendo com que mesmo que alguem me deseja-se mudar a minha visao de Deus nao conseguiria, mas tudo muda, ja se diz no Budismo, e a mudanca em poucos anos chegou.


Certo dia tive conhecimento de um grupo de jovens que existia em Santiago e faziam parte dele um vizinho meu e talvez por essa razao decidi-me aproximar para ver. Desde sempre andei em busca de alguem que me aceita-se e me quise-ze como amigo semfazer qualquer tipo de julgamento. Nos escuteiros isso nao se notava muito, mas neste grupo de jovens as "mascaras" da amisade escondiem veneno que mais tarde comecei a sentir.


Quando cheguei ao grupo de jovens, ate fui bem rebido e todos pareciam honestos ao ponto de me aceitarem como sou...mas o jogo de espelhos mudou. Emquanto estava no grupo de jovens fiz o crisma, o que me levou a aprofundar mais a minha fe, mas que houve que me fez mudar? para responder a isso tenho que descer do nivel divino para o nivel terrestre, pois so assim se percebera.


Haviam varios problemas neste grupo de jovens, um dos quais eram a suas heirarquias que se viam deviso aos "meninos ricos" estarem com os "meninos ricos", e os "pobres" com os pobres, claro que haviam alguns que se humilhavam para estar entre a "classe" superior, mas de resto pouca ligacao real havia entre os dois grupos. Ambos queriam agradar ao senhor padre, mas so os mais elevados socialmente e economicamante caiam nas boas gracas ecleseais.

Cantavam-se cancoes lindas que falavam de amor ao proximo e de dadiva a quem precisava, e muitos haviam que precisavam no grupo, mas quem devia ver nao via, e as belas palavras estavam so nas cancoes nunca na realidade, onde os grupos exitiam para dar gracha aos egos dos seus lideres e amigos, aos quis os "vassalos"/amigos queriam sempre agradar e alegrar.
Varias vezes se tentou por tudo em "pratos limpos", mas quem tinha poder dentro do grupo nada fazia, quem tinha poder de querer e fazer? Parece-me obvio, quem estava no topo, que explicarei melhor mais a frente quem sao. E havia neste grupo alguem que "equilibrava" a heirarquia, dois irmaos que eram o real centro do grupo, de facto desde que houvesse alguem com um ego suficientemente grande e com alguma influencia social no grupo havia sempre alguem para fazer andar o braco, ou pelo menos, fazer parecer que ele estava a avancavar. Quando o senhor padre estava presente, todos pareciam mudar de personalidade, mas a verdade aparecia na sua ausencia.

Ele sabia que o grupo estava disfuncional, mas nada fazia..e a palhacada continuava, a tencao continuava mas ninguem fazia nada. E claro como e obvio, no grupo haviam egos mais brilhantes que outros, e os menos viziveis ninguem queria saber..la se ia o cristianismo cheio de boas intecoes pelo cano a baixo. Tudo estava nas maos nos meninos ricos de egos grandes..tudo andava ao arrasto deles, e o orgarnizadores? eram os seus maoires amigos, eles, os ricos, eram e sao o que faz deste grupo um grupo arrogantemente elitista.


Pessoas foram saindo do grupo de jovens, ocasionamente, razoes? acredito que nenhuma delas tinha haver com Deus, parece-me sim, que tinham mais haver com vaidades e arrogancias humanas. Pareceu me e parece-me que havia alguma disfuncionalidade no grupo, e aonde eu encaixava nisto tudo? Eu nunca fui um rapaz de grandes egos ou mesmo de estatuto social elevado, por isso ficava sempre com quem me percebia melhor, nos niveis mais "simples" sociais e pessoais.


E quem podia entrar no grupo? literalmente toda a gente, mas quem tinha mais hipoteses de ficar? ai terei de voltar a mini heirarquia que la se formava. quem era aceite neste grupo de "puros" espiritos eram nem mais nem menos aqueles que vendessem a alma aos meninos dos doutores e engelhiros no topo e lhes prestasem "alegre" vassalagem. E os outros? simples, eram ignorados e nunca ninguem lhes dava real importancia, podiam ouvir, mas o concentimento ia para quem tivese o ego e o poder economico maior, nesta "cadeia alimentar". Por estas alturas, ja as minhas leituras sobre o Budismo ambragiam ja as complexidades desta filosofia que comecei a aceitar e admirar.


Mais grave ainda, isto a que referi neste grupo, estendia-se a, niveis superiores e menos jovens, dentro da sociedade eclesial. Santiago sempre foi um sociedade onde o poder economico, influencia social e posicao na heirarquia, sempre teve mais importancia do que o Real valor do individou, logo, o que se dava neste pequeno grupo de jovens era uma extencao disso mesmo, e Deus nao passava de uma desculpa.


Claro que no grupo havia mexericos, amores, traicoes e tudo que faz deus ficar orgulhoso de nos, e Deus onde esta nisto tudo? eu vi-o e eles tambem pareciam O ver, nas cerimonias religiosas (de procisoes a casamentos), onde demonstravam uma amisade e respeiro sem precedentes, ali era o paraiso, so que quando terminava a cerimonia la se iam os "sinceros" gestos e as "paz de cristo" por agua a abaixo. E a realidade era, que tudo nao tinha passado de uma interpretacao.


Que amigos Verdadeiros fiz deste grupo de jovens? uns tres ou quatro, nada mais de um grupo de doze, dos outros...varias vezes os ouvir dizer que era maus amigos, bla bla, bla, bla..eu precisava de Amigos que me percebessem e estivessem comigo, sim, mas eles nunca o foram nem o consequiram demonstrar. Quando sai do grupo os meus "amigos" que antes pensava poder confiar, atacavam-me -sera que me esquecer de dizer que eles eram cristaos- como o sempre fizeram, e quando me tentava ir ter com eles, com os que me pareciam ter sido honestos, de facto, eram tao iguais aos outros.


E pouco a pouco, a minha fe foi morrendo, pois reparei que esta era apenas uma invencao humana e Igreja era, nao passava de uma farca sobre a proteccao silenciosa de Deus. E o concervadorismo e os concervadores que matam e sempre mataram Portugal, mas ninguem faz nada, porque sao estes concervadores, com as suas visoes miseravelmente decadentes, que tem Portugal "nas maos" e que o fazem viver na sua ilusao/estagnacao.
Este e o Real estado da Igreja e da sociedade portuguesa nos dias que correm, mas ninguem faz nada nem quer fazer, nem mesmo Deus. Eu sei que os "meninos de bem" vao me odiar por o que aqui escrevi, mas tambem eles nem sequer amigos eram, a diferenca nao e muita. Se o fizerem e porque alguma coisa/verdade os incomodou, visto as mentiras serem algo que lhes pouco incomoda.


Varias perguntas me surgiram enquanto pertencia a este grupo de jovens das quais nunca tive resposta, como: porque raio eles nao me dizem o que sentem e logo se resolve tudo? ou, que lhes fiz para eles me tratarem assim, sera que e devido ao meu pai ser um anonimo electrecista? porque sera que nunca niguem teve os "cochones", de me dizer o que fiz eu para ser tratado desta forma arrogante?


Aqui estao as razoes que me levaram a ser Budista, parece me que existe mais liberdade e expontaneadade no Budismo e as heirarquias nao sao de tanta importancia. Isto de mudar de crenca nao nada novo, isto mostra que algo nao evolui, e que ha varios problemas, na religiao da qual se saiu e que e nessecario alguma flexibilidade.
O que atras referi, nao sao coisas do passado, NAO, existe actualmente e assim se vive de ilusoes e arrogancias, e talvez seja por medo de ver que isto e uma enorme ilusao, que este grupo continua a viver de futeis heirarquias e eclesial concervadorismos. Mas isso e algo que o cristianismo ja sabe de cor e salteado, mas so que opta sempre por permanecer no confortavel e heirarquicamente vantagoso, conservadorismo....

0 Comments:

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home